Pesquisa realizada pela consultoria especializada em inovação Pieracciani mostra que 74% das startups não ultrapassam os cinco anos de vida.

Há diversos motivos que explicam essa alta taxa de mortalidade verificada no Brasil.

O fim do dinheiro em caixa é um deles. Os empreendedores calculam mal o valor do investimento no plano de negócios. Como resultado, os recursos financeiros chegam ao fim, não sendo suficientes nem mesmo para cobrir os custos operacionais.

Outro problema está na falta de conhecimento do mercado em que a startup atua. Por desconhecer seus concorrentes, por exemplo, os empreendedores não posicionam a startup adequadamente, o que prejudica a captação de investimentos. Os investidores e o mercado têm dificuldade de ver valor na empresa recém-nascida, pois seu modelo de negócio não está claro nem mesmo para os fundadores.

O despreparo dos executivos que respondem por essas empresa novatas é o terceiro problema apontado. E aí falamos não apenas das escolhas feitas no plano de negócios, mas também de tudo aquilo que se refere à administração das startups. Até mesmo o despreparo emocional entra nessa conta, já que desentendimentos entre os fundadores são comuns.

 

O que achou deste post? Entre em contato com a gente!